Descoberta arqueológica em Jerusalém confirma trechos de passagens bíblicas.

Jerusalém – Israel (Quinta-feira, 10-08-2017, Gaudium Press) Arqueólogos do ‘Israel Antiquities Authority’ que escavavam em Jerusalém descobriram artefatos queimados que datam de 2.600 anos atrás. Segundo os pesquisadores, a descoberta vem constatar mais uma vez a veracidade de uma passagem bíblica.

Mais concretamente, destra vez, a descoberta comprova a veracidade de um texto do Profeta Jeremias: “Hoje, no sétimo dia do quinto mês, décimo nono ano do rei Nabucodonosor, rei da Babilônia, Nebuzaradã o capitão da guarda, um servo do rei da Babilônia, veio até Jerusalém. Ele queimou a casa do Senhor, a casa do rei e todas as casas de Jerusalém. Todas as grandes casas foram queimadas pelo fogo”.

Os achados fornecem evidências de que os babilônicos “queimaram todas as casas de Jerusalém”, como descrito no livro de Jeremias.

A descoberta arqueológica e constatações

Os pesquisadores do ‘Israel Antiquities Authority’ descobriram os artefatos sob camadas de rocha na Cidade de Davi. Eles encontraram madeira carbonizada, sementes de uva, espinhas de peixes, ossos e cerâmica, ao escavar a Cidade de Davi, em Jerusalém. Encontraram também frascos com lacres que permitiram que se datassem os artefatos.

“Esses lacres são característicos do final do Período do Primeiro Templo”‘, disse Dr. Joe Uziel, do ‘Israel Antiquities Authority’: “Eles eram usados pelo sistema administrativo que se desenvolveu no final da dinastia judaica”.

Segundo os cientistas que analisaram o que foi encontrado, os danos causados pelo fogo ocorreram há 2.600 anos, tudo coincidindo com datas e de acordo com eventos descritos nas sagradas escrituras.

As descobertas servem para mostrar que a queima de Jerusalém não se trata de algo criado por alguém imaginoso, mas é, na realidade um evento bíblico, sem dúvida, e também histórico. Muitas buscas continuam sendo feitas ainda hoje, e algumas foram realmente capazes de mostrar verdade nas narrações de eventos das escrituras sagradas.

Conteúdo publicado em gaudiumpress.org.