Devemos crer na Igreja?

Como se dá o termo “Creio na Igreja Católica” presente no Credo – Símbolo dos Apóstolos

É lamentável que diariamente saíam, em jornais de todo o mundo, escândalos que envolvam o Vaticano. Além disso, a cada dia são desenterrados históricos sombrios do clero de gerações passadas. Como confiar na Igreja após tudo isso?

Primeiramente é necessário compreender o que é a Igreja de fato. Há quem diga que são os próprios fiéis ou sacerdotes e papas, mas essa consideração está incorreta. A Igreja Católica representa aquilo que é imutável e infalível.

Cristo diz: “Tu és Pedro, sob esta pedra edificarei a Minha Igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela” (Mt 16, 18). Esta fala demonstra que Nosso Senhor fundaria uma religião Única, Una e Santa, que mesmo depois tempestades, perseguições e tentações, não acabaria, pois “[…] o que Deus uniu o homem não separa…”

Recentemente muito se ouve como os católicos estão separados, cada vez há mais controvérsia nos discursos das comunidades e associações religiosas. Os próprios padres estão divididos em seus conselhos. Este fato causa confusões nos fiéis, que acabam aceitando a “crença” que mais lhe convém.

Com toda convicção do mundo: não é a Igreja que está dividida. Os católicos não estão desamparados. Não existe divisão, pois Cristo é a cabeça da Igreja, e o Espírito Santo não se contradiz. O que foi dito há 1000 anos atrás para um, será o mesmo dito para outro dos dias atuais. Nossa fé não está baseada em afirmações líquidas de hereges ou desenformados.

Todas as nossas dúvidas são esclarecidas a partir das Sagradas Escrituras, Catecismo, Código do Direito Canônico, encíclicas, cartas apostólicas, dogmas e doutrinas. Temos a tradição, o magistério e principalmente a vida dos santos.

“Eu não creria no Evangelho se a isso não me levasse a autoridade da Igreja Católica” (Santo Agostinho)

A Santa Igreja Católica é formada por hierarquia, os filhos honram os pais, os leigos obedecem aos sacerdotes e religiosos, que por sua vez obedecem aos bispos, e todos sob à ordem Papal. No entanto, as autoridades foram criadas para serem imagem de semelhança de Deus, se assim não for, já perdem seu posto de comando.

“Se alguém se apresentar com um Evangelho diferente daquele que a Igreja Católica recebeu dos Santos Apóstolos, dos Padres e dos Concílios e que ela conservou até os nossos dias, não o escuteis” (São João Damasceno)

Desta forma, é importante que saibamos ouvir somente a voz daqueles que estão em sintonia com a Igreja. Por exemplo, se um sacerdote afirma algo que foi contestado há anos por um santo, ele está errado, como é o caso da modéstia, divórcio ou anticoncepcionais. Pois a Verdade é Cristo e Cristo não muda. Ele é o mesmo ontem, hoje e sempre.

“Esta é a fé Católica, e quem não a professar fiel e firmemente não se poderá salvar” (Santo Atanásio de Alexandria)

É normal que a fé se abale com as chateações e decepções. Mas como diria o Venerável Fulton Sheen: “Você diz que não vai à Igreja porque lá está cheio de hipócritas. Você está certo. Mas venha assim mesmo, temos espaço para mais um! ”

As duras palavras do Arcebispo Sheen foram ditas para a nossa disciplina. Não podemos permitir que falhas alheias sejam empecilhos para nossa santificação. Um autor desconhecido disse sabiamente que: quem sai da igreja por causa de pessoas nunca entrou lá por causa de Jesus. Por isso, se nosso coração estiver apontado para o que, de fato, é a Igreja, vamos compreender a beleza desta que tanto fez e ainda faz pela humanidade.

“Mantenha-se sempre do lado da Igreja Católica, porque só Ela pode lhe dar paz verdadeira, posto que só Ela possui Jesus no Santíssimo Sacramento, o verdadeiro Príncipe da Paz” (São Pio de Pietrelcina)

Mártires preferiram derramar sangue que negar a fé católica. Sacerdotes e famílias oferecem tudo pelo Reino de Deus. Santos doaram sua vida pela conversão dos pecadores. Apóstolos lutaram até o fim para a edificação da Igreja de Cristo. Que essa seja a nossa motivação! Precisamos ser prudentes e construir a casa sobre a rocha, pois caem a chuva, transbordam os rios, sopram os ventos contra, porém ela está alicerçada em uma base sólida.

 “Não te afaste da Igreja. Nada é mais forte do que ela. Ela é a tua esperança, o teu refúgio, ela é mais alta que o céu e mais vasta que a terra. Ela nunca envelhece” (São João Crisóstomo) 

Muitos perguntam porque é necessária uma igreja se podemos ter um relacionamento livre e direto com Deus. Mas como diz as Sagradas Escrituras em Efésios 5, 25, Cristo Amou a sua Igreja e se sacrificou por ela. Ele está no Alto dos Céus, mas se faz presente nos altares católicos, em cada tabernáculo.

Os seguidores de Jesus devem estar caminhando juntos e na mesma direção. Pois só existe um caminho. Os apóstolos, evangelistas, profetas, mártires e santos beberam da mesma fonte: a doutrina daquela que é Una, Imaculada e Católica.

Que possamos, por intermédio da Bem-Aventurada sempre Virgem Maria, Aquela que soube ser serva, submetermo-nos a doutrina da Santa Igreja Católica. Tudo pela conversão dos pecadores, pelo alívio das almas do purgatório, pela perseverança dos justos e para maior Glória de Deus. Amém!

Aline Menezes