A luta contra a impaciência

Pois bem, há várias categorias que representam a virtude da paciência, porém as mais importantes são a esperança e o autocontrole.

Comentando sobre a segunda, trata-se do domínio diante ao estresse e às irritações. Qualidade difícil de ser alcançada principalmente em quem possui o temperamento colérico.

Quem facilmente se enfurece claramente possui deficiências emocionais e precisa de esforço espiritual para atingir a paz desejada.

Quando São Francisco de Sales faleceu, foi descoberto que sua mesa era toda arranhada por dentro, pois ele havia inclinações à ira. Durante momentos de braveza, o sacerdote apertava a mesa.

Porém, apesar de suas más tendências, este grande doutor da Igreja Católica não se deixou levar pela cólera e buscou o caminho para a santidade. Em seu livro “Filoteia”, ele aconselha que procuremos a confissão, a mansidão, a obediência e a castidade.

São Francisco de Sales soube dominar sua fúria, e tornou-se santo, esforçando-se para agradar a Deus sendo amável e dócil com o próximo, pois, “não há lugar para a sabedoria onde não há paciência” (Santo Agostinho).

Em contrapartida, quando a impaciência se trata da ansiedade e do desespero, ela atinge um significado maior.

Infelizmente, muitas vezes, somos apegados em realizar nossos próprios desejos e satisfazer prazeres pessoais, assim, o coração torna-se inquieto e cheio de medo.

Ou seja, não sabemos sofrer as demoras e queremos que tudo aconteça conforme a vontade planejada.

Porém, “Deus marcou o tempo certo para cada coisa” (Ecl 3,11), precisamos aprender que não somos donos de nós mesmos. A partir do momento que decidimos ser cristãos, é necessário saber entregar toda a vida nas mãos de Cristo e deixar que Ele conduza como quiser.

Muitos reclamam que assim que entrou na Igreja, as diversidades e os sofrimentos não desapareceram. No entanto, devemos amar a Deus na intenção de servir, e não de ser servido.

Quando escolhemos o caminho da salvação, o demônio se enfurece e fará de tudo para perturbar o juízo, por isso as perseguições continuam. Se sua vida não é um processo de dor é porque você ainda não é um autêntico cristão.

No livro “A paciência”, Padre Faus recomenda 10 exercícios para alcançar a virtude. São eles: tenha caridade ao ouvir o próximo; não resmungue nem reclame demasiadamente; evite termos como “Você sempre faz assim”, “Não aguento mais isso”, “Estou cansado”; não perturbe ou implique com as pessoas; tenha calma ao ensinar algo; se alguém é injusto com você, controle sua ira e reze para que o Anjo da Guarda dele o ajude a ter mais prudência; por último, e mais importante, a tenha vida de oração, pois sem ela não há virtude nenhuma.

“Meu filho, se entrares para o serviço de Deus, permanece firme na justiça e no temor, prepara a tua alma para a provação; humilha teu coração, espera com paciência; não te perturbes no tempo da infelicidade, sofre as demoras de Deus; dedica-te a Deus, espera com paciência, a fim de que no derradeiro momento tua vida se enriqueça. Aceita tudo o que te acontecer. Na dor, permanece firme; na humilhação, tem paciência. Pois é pelo fogo que se experimentam o ouro e a prata, e os homens agradáveis a Deus, pelo cadinho da humilhação. Põe tua confiança em Deus e ele te salvará. ” (Eclo 2,1-6)

Que por intercessão da Bem Aventurada sempre Virgem Maria, alcancemos a virtude da paciência. Que por meio Dela, sejamos livres de toda a ansiedade, desespero, fúria, medo e ira. Nosso Senhor, Pai de Misericórdia, ajudai-nos a ser humildes e dóceis para agradar teu Sagrado Coração. Amém, assim seja!

Aline Menezes