Papa ordena 19 sacerdotes: “Sejam próximos ao povo de Deus” e Regina Caeli

“Considerem que exercendo o ministério da doutrina sagrada, vocês serão partícipes da missão de Cristo, o único mestre. Isto não é uma associação cultural, não é um sindicato: vocês serão envolvidos no mistério de Cristo”, disse o Papa na homilia.

Cidade do Vaticano

Neste domingo do Bom Pastor, 56º Dia Mundial de oração pelas vocações, a Diocese de Roma ganhou 19 sacerdotes, ordenados pelo seu bispo, o Papa Francisco, na Basílica de São Pedro.
Concelebraram com o Papa os Cardeais Angelo De Donatis, Vigário de Roma, Santos Abrul y Castellò, arcipreste emérito da Basílica de Santa Maria Maior.

Há 15 italianos entre os 19 ordinandos, enquanto os outros quatro são originários da Croácia, Peru, Haiti, e Japão. Oito pertencem à Fraternidade Sacerdotal do Filhos da Cruz; um é membro da Família dos Discípulos; dois provêm do Pontifício Seminário Maior Romano e oito do Colégio Diocesano Redemptoris Mater.

Na ordenação presbiteral, o Papa pronunciou a ‘Homilia ritual’, prevista pelo Pontifical Romano, com alguns acréscimos.

“Considerem que exercendo o ministério da doutrina sagrada, vocês serão partícipes da missão de Cristo, o único mestre. Isto não é uma associação cultural, não é um sindicato: vocês serão envolvidos no mistério de Cristo”.

E ainda improvisando, recomendou:

“Nunca se pode fazer uma homilia, uma pregação sem muita oração, com a Bíblia na mão. Não se esqueçam disto!”, disse, convidando os novos sacerdotes a serem “homens de oração, homens de sacrifício”.

O Pontífice pediu aos novos sacerdotes principalmente ‘proximidade’, explicando:

“Sejam próximos de Deus na oração, próximos ao bispo, que é o seu pai, próximos no sacerdócio como irmãos, sem ‘acotovelar-se’ um contra o outro; próximos ao povo de Deus, tendo sempre diante dos olhos o exemplo de Cristo, o bom pastor que não veio para ser servido, mas para servir”.

“Estejam atentos na celebração da Eucaristia; reconheçam e reflitam sobre o que celebrarem, porque participando ao mistério da morte e da ressurreição do Senhor vocês levam a morte de Cristo em seus membros e caminham com ele em unidade de vida”.

“O Senhor quis salvar-nos gratuitamente; Ele mesmo nos disse: ‘Deem gratuitamente aquilo que receberam gratuitamente’. A celebração da Eucaristia é o ápice da gratuidade do Senhor. Não a sujem com interesses mesquinhos”.

O Papa alertou ainda: “Não se cansem de ser misericordiosos, tal como o Pai, tal como Jesus foi misericordioso com vocês”; “Gastem tempo visitando os doentes, tentem agradar a Deus e não a si mesmos; a alegria sacerdotal se encontra exclusivamente seguindo este caminho: tentando agradar a Deus”.

Papa agradece e pede um aplauso às Mães do mundo

No momento do encontro com os fiéis para rezar o Regina Coeli, o Papa ainda lembrou o Dia de Oração pelas Vocações e saudou os sacerdotes recém-ordenados e suas famílias.

Cidade do Vaticano

Poucos minutos após celebrar a Eucaristia e ordenar 19 novos sacerdotes para a sua diocese, o Bispo de Roma foi ao balcão da janela de seu escritório para o tradicional momento da oração mariana dominical que, nesta época do Ano Litúrgico, é o Regina Coeli.

Nossa intimidade com Jesus

Neste domingo (12/05), milhares de pessoas o aguardavam para ouvir suas palavras e em seguida, rezar com ele. Francisco iniciou refletindo sobre o Evangelho do dia, conhecido como o do Bom Pastor.

“O Bom Pastor – Jesus – está atento a cada um de nós, nos procura e nos ama, dirigindo-nos a sua palavra, conhecendo em profundidade o nosso coração, os nossos desejos e as nossas esperanças, bem como os nossos fracassos e as nossas decepções. Acolhe-nos e ama-nos como somos, com os nossos pontos fortes e fracos. Para cada um de nós ‘dá a vida eterna’: isto é, oferece-nos a possibilidade de viver uma vida plena, sem fim. Além disso, nos guarda e nos guia com amor, ajudando-nos a percorrer as trilhas mais arriscadas que surgem no caminho da vida”.

Assim sendo, completou o Papa, devemos corresponder às atitudes ternas e carinhosas do Senhor, manter intimidade com Ele, segui-lo, saindo do labirinto dos caminhos errados, abandonando o comportamento egoísta, para nos colocarmos nos novos caminhos da fraternidade e do dom de nós mesmos, imitando-o. Ou seja, viver nossa relação com Cristo em plena confiança e familiaridade.

Apresentá-lo a quem não O conhece

“Desta forma, podemos também atrair para Ele as pessoas que o procuram, mas talvez sem o saber. Há muitas pessoas, que só Deus conhece em seus corações, e que já são Suas ‘ovelhas’, mas precisam de um irmão ou irmã para levá-las a Jesus Cristo. Poder fazer isso é uma grande graça e uma grande alegria!”.

Neste sentido, concluiu o Papa, “que Maria, Mãe de Cristo Bom Pastor, ajude os chamados ao sacerdócio e à vida consagrada a acolher com alegria e disponibilidade o convite de Cristo para ser seus colaboradores mais diretos no anúncio do Evangelho e no serviço do Reino de Deus no nosso tempo”.

Mães, obrigado por tutelar o valor da família

Francisco rezou a oração do Regina Coeli e concedeu a todos a sua bênção apostólica e se despediu dos fiéis, romanos, e peregrinos com uma saudação inicial a todas as Mães do mundo, pedindo um aplauso a elas e recordando aquelas que continuam, ‘do céu’, a velar por nós com suas orações.

Em seguida o Papa chamou à sua janela dois sacerdotes recém-ordenados e com eles, abençoou novamente todos os presentes.

Com informações do Vatican News



News Reporter