Papa no Angelus da Assunção: o Senhor faz maravilhas com os pequenos

Segundo Francisco, “Maria se reconhece pequena e exalta as “grandes coisas” que o Senhor fez para ela.

Mariangela Jaguraba – Vatican News

O Papa Francisco rezou a oração mariana deste sábado (15/08), Solenidade da Assunção de Nossa Senhora, com alguns fiéis reunidos na Praça São Pedro. No Brasil, a Solenidade da Assunção de Maria ao Céu é celebrada no domingo (16/08).

Na alocução que precedeu a oração, Francisco recordou uma frase que ficou famosa quando o homem pôs os pés na lua: «Este é um pequeno passo para um homem, um grande salto para a humanidade.» A seguir acrescentou:

A humanidade tinha atingido um marco histórico. Hoje, na Assunção de Maria ao Céu, celebramos uma conquista infinitamente maior. Nossa Senhora colocou os pés no paraíso: ela foi lá não só em espírito, mas também com seu corpo. Este passo da pequena Virgem de Nazaré foi o grande salto pra frente da humanidade. De pouco adianta ir à lua se não vivermos como irmãos na Terra.

“Que um de nós vive no céu com o corpo nos dá esperança: entendemos que somos preciosos, destinados a ressurgir. Deus não deixará que o nosso corpo desapareça no nada. Com Deus nada será perdido”, disse ainda o Papa.

Em Maria a meta foi alcançada e nós temos diante de nossos olhos o motivo pelo qual caminhamos: não para conquistar as coisas aqui em baixo, que desaparecem, mas a pátria lá em cima, que é para sempre. E Nossa Senhora é a estrela que nos orienta. Ela, como ensina o Concílio, “brilha como sinal de esperança segura e consolo para o Povo de Deus a caminho”.

A seguir, Francisco fez a seguinte pergunta: “O que a nossa Mãe nos aconselha?” “Hoje, no Evangelho”, disse o Papa, “a primeira coisa que ela nos diz é: ‘A minha alma engrandece ao Senhor’. Acostumados a ouvir estas palavras, talvez não prestemos mais atenção ao seu significado”.

Engrandecer literalmente significa “tornar grande”, aumentar. Maria “engrandece ao Senhor”: não os problemas, que não lhe faltaram naquele momento, mas o Senhor. Quantas vezes, nos deixamos dominar pelas dificuldades e nos deixamos absorver pelos medos! Nossa Senhora não, porque ela coloca Deus como a primeira grandeza da vida. Daqui nasce o Magnificat, daqui nasce a alegria: não da ausência de problemas, que mais cedo ou mais tarde chegam, mas a alegria nasce da presença de Deus que nos ajuda e está perto de nós. Porque Deus é grande e olha para os pequenos. Somos a sua fraqueza de amor: Deus olha e ama os pequenos.

Segundo o Papa, “Maria se reconhece pequena e exalta as “grandes coisas” que o Senhor fez por ela. Quais? Primeiramente, o dom inesperado da vida: Maria é virgem e fica grávida; e Isabel, que era idosa, também está esperando um filho.”

“O Senhor faz maravilhas com os pequenos”, disse ainda o Pontífice, “com quem não pensa ser grande, mas dá um grande espaço para Deus na vida. Ele estende a sua misericórdia sobre aquele que confia Nele e eleva os humildes. Maria louva a Deus por isso”.

“E nós, podemos nos perguntar, nos lembramos de louvar a Deus? Agradecemos a Ele pelas grandes coisas que Ele faz por nós? Por todos os dias que ele nos doa, porque nos ama e nos perdoa sempre, por sua ternura? E por nos ter dado sua Mãe, pelos irmãos e irmãs que Ele coloca em nosso caminho, porque abriu o Céu para nós?”, perguntou o Papa.

Segundo Francisco, “se esquecemos o bem, o coração diminui. Mas se, como Maria, nos lembrarmos das grandes coisas que o Senhor faz, se pelo menos uma vez por dia o engrandecermos, então damos um grande passo em frente. Uma vez por dia dizer: “Eu louvo ao Senhor”. Dizer “Bendito seja o Senhor”, que é uma pequena oração de louvor. Isso é louvar a Deus. O coração se dilatará com essa pequena oração, a alegria aumentará”. Peçamos a Nossa Senhora, a porta do céu, a graça de começar cada dia levantando nosso olhar para o céu, para Deus, para dizer-lhe obrigado, como dizem os pequenos aos grandes”, concluiu Francisco.

Com informações do Vatican News